Ficha de Anamnese: faça o download gratuitamente

A Anamnese é uma entrevista que um profissional de saúde, e agora também o profissional de estética, precisa fazer para conhecer melhor seu paciente e/ou cliente, realizando um diagnóstico preciso para realizar o melhor procedimento e para se precaver de ser surpreendido com futuras ocorrências desagradáveis relacionadas ao procedimento realizado.

O termo Anamnese vem do grego ana (trazer de novo) e mnesis (memória) e nos dias atuais é um procedimento feito em formato de questionário, impresso ou online, onde o paciente responde perguntas que contam seu estado de saúde de maneira geral, como antecedentes médicos, doenças pré-existentes, alergias e expectativas gerais sobre a intervenção de saúde e estética pelo qual vai passar.

Como qualquer outro tipo de entrevista, uma Anamnese tem um padrão correto a ser aplicado e é preciso observar as melhores formas e técnicas para transformar o questionário em um guia de sucesso.

Pensando nisso, a Haut Medical desenvolveu uma Ficha de Anamnese especial para o procedimento de micropigmentação e PMU (Permanent Make-up ), com todas as informações necessárias para realizar o melhor procedimento possível. Não perca tempo e baixe a sua gratuitamente. É só cadastrar o seu e-mail e fazer o download no link abaixo.

 

BAIXE SUA FICHA GRATUITAMENTE AQUI!

Função do sistema imunológico na micropigmentação

Durante uma micropigmentação, o corpo humano trabalha muito para a completa e saudável recuperação da área atingida. Mesmo que o dano seja mínimo, a pele micropigmentada recebe uma agressão mecânica da agulha no tecido dérmico com a entrada do pigmento no organismo e, com isso, o sistema imunológico da pessoa entra em campo para remover esta que é considerado uma invasão por um corpo estranho. Todo esse processo nos leva a sentir dor, ardor, sensação de queimação, vermelhidão e sensibilidade e isso tudo é muito positivo, pois indica que o sistema imunológico está funcionando bem.

Além do sistema imunológico, responsável pela proteção e limpeza de agentes patógenos que poderiam vir a invadir o organismo, outro sistema do nosso corpo que entra em ação neste momento é o de reparação de dano, também conhecido como cicatrização.

sistema imunológico na micropigmentação
 Micropigmentação

Células do Sistema Imunológico

As duas células mais importantes relacionadas à micropigmentação são os neutrófilos e o macrófago. Juntas representam a maior parte das células do sistema imunológico do nosso corpo.

O neutrófilo, popularmente conhecido como glóbulo branco, costuma ficar circulando na corrente sanguínea à procura de ameaças. Pelo seu aspecto de movimentação, ele vai ser o primeiro a trabalhar a proteção da área micropigmentada, liberando radicais livres e se aderindo as paredes dos vasos sanguíneos, porém, como não possui muita energia, seu tempo de ataque dura apenas o tempo suficiente para os macrófagos o substituir.

O macrófago tem sua origem no monócito, um tipo de linfócito produzido na medula óssea e é conhecido como uma célula de limpeza do corpo com grande importância na resposta imunitária, produzindo e expelindo moléculas que, entre outras funções, atraem e produzem outras células que irão se concentrar um local em que esteja ocorrendo uma reação inflamatória. Ela chega no local micropimentado em média de 12 a 24 horas depois da realização do procedimento e tem papel importante na imunidade adaptativa, fazendo que o organismo reconheça essas estruturas e crie estratégicas específicas para este pigmento ao longo dos anos.

Todo esse processo biológico e químico na região micropigmentada é essencial para surgir a quimiotaxia, que é quando o organismo concentra toda a sua movimentação celular em um único local, geralmente de lesão, permitindo que a cicatrização se realize por completo.

Curso de Micropigmentação Haut Academy

Micropigmentação: o que é?

Micropigmentação ou Permanent Make-up (PMU) é um procedimento estético também conhecido como maquiagem definitiva, dermopigmentação ou tatuagem cosmética, que consiste na introdução dérmica, logo após a pele, de pequenas partículas de pigmentos, de cores variadas, através de um aparelho chamado dermógrafo.

O dermógrafo possui uma agulha de uso único que sobe para o interior da cápsula, é banhada de pigmento, e quando desce introduz o pigmento no interior da derme, onde fica alojado. Esse movimento é chamado de pulso e vários pulsos em uma determinada região formam o desenho ou “pintura” da micropigmentação.

dermografo haut
Novo dermógrafo da Haut Tech

Além dos procedimentos mais conhecidos como maquiagens temporárias, design de sobrancelhas, reparo e disfarce de falhas faciais e preenchimento de lábios, a micropigmentação vem atuando em outras frentes como reconstrução de formas causados por envelhecimento, doenças, quimioterapias, heranças genéticas, entre outros.

Vitiligo, calvície, cicatrizes oriundas de retirada de mama, lábio leporino, manchas de envelhecimento, são alguns dos incômodos de âmbito da estética e saúde que a micropigmentação consegue reparar de forma bem satisfatória. Nunca esquecendo que para atingir esses resultados mais elaborados é preciso contar com os melhores profissionais, máquinas e produtos que o mercado consegue entregar.

micropigmentação na sobrancelha
Micropigmentação na sobrancelha

Contraindicações da micropigmentação

As únicas restrições para o processo de micropigmentação são para as pessoas que apresentam patologias no local do procedimento, pele lesionada ou algum tipo de dermatose, gestantes, lactantes ou em tratamento de câncer.

No caso das gestantes e mulheres que estão amamentando não existe nenhum fator conhecido de nível biológico ou químico que impeça o procedimento, porém a hesitação se encontra mais no campo ético, na observação dos gatilhos psicológicos que a pessoa que está passando por este momento precisa cuidar.

Em relação ao tratamento de câncer, é preciso atentar para o fato de que esta doença específica ainda apresenta uma abrangência desconhecida pela ciência moderna, o que nos impede de realizar o procedimento por uma questão ética e também por não haver literaturas que nos digam o que aconteceria se houvesse essa aplicação.